Um sonho singular

*Vós não estais dizendo a verdade... Não pode ser...
*Eu, eu sinto... que sim. Não devo mais permanecer nestas terras. E vós de modo algum deverás partir comigo.
Foram estas as palavras que partiram o coração de Alberto. Como? por quais motivos sua amada Charlotte deveria partir tão rapidamente? era de esperar-se que após tanto sofrimento, pudessem desfrutar de seu amor.
Crescidos e criados lado a lado, toda a sociedade paulistana conseguia ver o belo casal que ali estava a se formar. Porém a vida os fez trilhar caminhos diferentes. Alberto, moço bem apanhado, viçoso, de boa posição, viajara o mundo em busca de "conhecimento", porém quem conhece a história sabe que este apenas tentava fugir da realidade que o separara de sua amada. Charlotte, moça de beleza singular e simpatia inigualável, casara-se com um rico benfeitor que a tirara de uma futura vida religiosa, porém, nunca seria feliz ao lado do mesmo... Não com o fantasma de seu amado Alberto rondando-a em toda aurora, em todo crepúsculo.
*Não deixarei que partas, não deve fazer isto conosco, não pode...
*Faço isto para o nosso bem meu amado, não penses que a ideia de separar-me de vós foi das mais atraentes a minha vista, porém, esta é a única maneira de preservar-te do mal iminente meu querido...
Charlotte dizia tudo de cabeça baixa, com lágrimas a escorre pela face. A delicada luva de pelica deveria estar destruída a esta altura... duvidara que alguém conseguiria remover as manchas deixadas pela maquiagem... Alberto segurava uma de suas mãos, como quem quer impedir algum ato impensado. Ela não conseguia nem ao menos encara-lo, queria lembrar-se dele  da melhor maneira possível, conservaria as lembranças felizes, obtidas através de maravilhosas tardes de passeios ao parque, de mãos dadas, discretamente, para não serem percebidos.
*Ao menos me dia o porque de tal pensamento
*Não devo
* E queres que deixe-a partir assim, sem ao menos explicar-te?
*Peço apenas que não dificulte a situação...Quando chegar ao meu destino, mando-lhe uma carta, explicando o motivo de tal partida. Não devo de modo algum contar-lhe agora... seria perigoso demais...
* Por Deus Charlotte!!! O que poderia ser mais perigoso do que tudo o que já enfrentamos juntos? Achas que meu coração ficará em paz sem saber onde vós se encontrará?Acha que..que poderei dormir sabendo que vós estas por enfrentar este tal perigo do qual não quer falar?
Alberto agora também chorava e, em meio ao pranto, gritava exigindo explicações, já não conseguia manter a calma vendo que Charlotte parecia estar decidida. Será que o amor havia se acabado? Deveras que ele andara muito ocupado... Mas... Não... Ela não o abandonaria por tais motivos...
*Preciso partir agora... por favor Alb...
As palavras foram sufocadas por um beijo ardente e inesperado em meio as lágrimas, um ultimo beijo, do qual ambos se lembrariam para sempre. Ao término do mesmo, Charlotte retirou o delicado anel de ouro cujo um valioso diamante, singelo, havia sido incrustado, entregou-o a Alberto.
*Quero que o guardes, em memoria de todo o meu amor por ti, em lembrança de cada alegria, de cada sorriso, e de cada momento em que vivemos em presença um do outro. Peço-te apenas uma coisa, nunca se esqueça dessa parte da sua vida, dessa parte em que eu estive presente, leve-a contigo aonde fores. Seja feliz novamente, mas nunca esqueça da felicidade que ambos compartilhamos um dia. Olhe para o céu, em toda 1° noite de lua cheia, eu também farei o mesmo, ela será a nossa cúmplice, a cúmplice do nosso amor, quando olha-la, poderás ouvir minha voz, sentir meu perfume, tocar minha pele, e reviver tudo o que já passamos juntos. Adeus.
Ao dizer isto, Charlotte se foi, para nunca mais voltar, sacrificando-se em nome do mais puro amor já sentido algum dia.

1 sonhos:

hernanes 21 de dezembro de 2010 17:49  

seus peixes sempre comem minha ração
axo q eles gostam de mim *-*

Postar um comentário

Flores Inconstantes.. Tecnologia do Blogger.